Normas de Segurança para a prática

Cabe a cada praticante adquirir o material e os acessórios de acordo com o que pretende. Não obstante, a utilização de óculos de protecção ou outro tipo de protecção ocular, é de carácter obrigatório. No decorrer do jogo, nunca deverão ser retirados e mesmo nas situações em que os jogadores se preparam para jogar e se encontram a testar as suas réplicas, deverá ser impensável a não utilização de qualquer tipo de protecção ocular.
Existem no mercado distintos modelos de protecções deste tipo, que poderão satisfazer a preferência do jogador.
Fora do ambiente de jogo, é necessário ter em atenção outros aspectos, nomeadamente no transporte e manuseamento das réplicas na via pública.
Por lei é estritamente proibido ostentar as réplicas de Airsoft em locais públicos, que não estejam contextualizados na ocorrência de um dado evento de Airsoft.
À parte de questões legais, é de bom-tom os praticantes da modalidade serem prudentes e respeitosos na sua conduta. Uma boa regra empiricamente instituída é, fora do ambiente de jogo, não andarem totalmente fardados, nem exporem determinados acessórios que poderão ser equiparados ou confundidos com os reais, utilizados por pessoal militar e policial.

Lei das Armas Portuguesa

Em Portugal, a lei das armas impõe claramente certas condicionantes respeitantes às réplicas de Airsoft, bem como à sua posse e utilização. Embora muitos praticantes da modalidade discordem das aplicações vigentes, cabe a cada um de nós a responsabilidade de zelarmos pelo seu devido cumprimento.
A Lei das Armas actualmente em vigor em Portugal é a Lei 5/2006, de 23 de Fevereiro, afectada das consequentes alterações impostas pelas Leis nº17/2009, de 6 de Maio e nº12/2011, de 27 de Abril. Existem outras leis e portarias associadas, mas que não são relevantes para a prática da modalidade de Airsoft.

 

Condições legais para a prática de Airsoft
A legalização dos praticantes prevê a inscrição numa associação ou clube devidamente reconhecidos para o efeito e que promovam esta modalidade.
Actualmente, a idade mínima para os que pretendam tornar-se praticantes é aos 16 anos de idade, desde que seja apresentada uma autorização escrita pelo seu tutor.